top news

Educação

Aula Básica: para que serve o pH

Quinta, 19 Março 2015 16:28

O cabelo tem um pH natural entre 4,5 e 5,5. Qualquer alteração nesse grau pode interferir no brilho, na maciez e na integridade do fio.

E o que mais altera essa estrutura natural é a realização de químicas. Por isso, conhecer o pH dos processos de transformação é fundamental para preservar a saúde cabelo. 

Incorporada ao dia a dia dos profissionais da beleza, a sigla é muito falada, mas nem sempre compreendida ao pé da letra. pH significa potencial hidrogeniônico e mede a potência do hidrogênio em soluções aquosas, definindo sua acidez, neutralidade ou alcalinidade. 

O profissional que não tem domínio sobre o tema pode enfrentar vários problemas durante o atendimento, com consequências catastróficas: o cabelo pode se romper em soluções muito ácidas ou muito alcalinas.

Ao realizar uma coloração ou descoloração, alisamento e relaxamento é necessário que determinado produto abra a cutícula do fio. Neste caso ele necessita ter um pH alcalino. E quando esse número vai de 8 para cima, o cabelo pode se dividir, causando ponta dupla. “No processo de relaxamento o pH atinge até 13,5. Se o cabelo está muito poroso por passar constantemente por processos químicos, o fio não suportará a alcalinidade do relaxamento e poderá se partir”, explica Silene Olmo, educadora de Matrix, cabeleireira e proprietária do salão Vip by Silene Olmo, em São Paulo. 


ESCALA DE AÇÃO

* Progressivas à base de ácidos diminuem o pH do cabelo para pHs em torno de 2 a 3, fazendo assim uma contração e obrigando as cadeias internas do fio a se modificarem após o processo mecânico e térmico (escova e prancha). Por isso, são usados neutralizadores condicionantes em creme para que o cabelo volte ao seu pH natural, mas mantenha a forma na qual foi transformado.

* A ação dos hidróxidos (sódio ou guanidina) tem processo inverso: o cabelo chega a pHs de 12 a 13, uma vez que precisa dissolver uma cadeia de enxofre variando a intensidade de força do produto. Por isso, existem os neutralizadores (xampus, condicionadores e máscaras de tratamento), que devolvem gradativamente ao cabelo as condições normais de pH entre 4,5 e 5,5 após o processo. 

* Com o uso de tioglicolato de amônio e etanolamina o pH varia de 8,5 a 10 porque esses ativos desligam as cadeias de proteínas. O retorno ao pH natural se faz com soluções de peróxido de hidrogênio (água oxigenada ) estabilizado.

 

CUIDADOS PRÉ E PÓS

Sempre é bom lembrar a necessidade da realização do teste de mecha. “Dificilmente será necessária correção se o teste de mecha for feito antes. Mas caso aconteça algum problema, deve-se usar um neutralizante correspondente, no caso do uso de amônia, oxidantes equalizados para o processo. O mesmo se aplica aos hidróxidos”, indica Silene.  Ela lembra que também é importante orientar a cliente com os cuidados em casa. “Existem produtos pós-química, como os cremes para pentear, que fazem com que o cabelo mantenha a quantidade de água dentro dele, controlando, assim, o pH.

O ideal é que o profissional indique uma boa linha home care. Também é bom que a mulher faça exames periódicos de saúde, pois alguns problemas afetam a estrutura hormonal e alteram o pH, provocando ressecamento na pele e no cabelo”, explica.

 

Texto: Carmen Cagnoni

 

> Vip by Silene Olmo (11) 2295-1979 / O cabelo tem um pH natural entre 4,5 e 5,5. Qualquer alteração nesse grau pode interferir no brilho, na maciez e na integridade do fio. E o que mais altera essa estrutura natural é a realização de químicas. Por isso, conhecer o pH dos processos de transformação é fundamental para preservar a saúde cabelo. 

 

Incorporada ao dia a dia dos profissionais da beleza, a sigla é muito falada, mas nem sempre compreendida ao pé da letra. pH significa potencial hidrogeniônico e mede a potência do hidrogênio em soluções aquosas, definindo sua acidez, neutralidade ou alcalinidade. 

 

O profissional que não tem domínio sobre o tema pode enfrentar vários problemas durante o atendimento, com consequências catastróficas: o cabelo pode se romper em soluções muito ácidas ou muito alcalinas.

 

Ao realizar uma coloração ou descoloração, alisamento e relaxamento é necessário que determinado produto abra a cutícula do fio. Neste caso ele necessita ter um pH alcalino. E quando esse número vai de 8 para cima, o cabelo pode se dividir, causando ponta dupla. “No processo de relaxamento o pH atinge até 13,5. Se o cabelo está muito poroso por passar constantemente por processos químicos, o fio não suportará a alcalinidade do relaxamento e poderá se partir”, explica Silene Olmo, educadora de Matrix, cabeleireira e proprietária do salão Vip by Silene Olmo, em São Paulo. 

 

ESCALA DE AÇÃO

* Progressivas à base de ácidos diminuem o pH do cabelo para pHs em torno de 2 a 3, fazendo assim uma contração e obrigando as cadeias internas do fio a se modificarem após o processo mecânico e térmico (escova e prancha). Por isso, são usados neutralizadores condicionantes em creme para que o cabelo volte ao seu pH natural, mas mantenha a forma na qual foi transformado.

* A ação dos hidróxidos (sódio ou guanidina) tem processo inverso: o cabelo chega a pHs de 12 a 13, uma vez que precisa dissolver uma cadeia de enxofre variando a intensidade de força do produto. Por isso, existem os neutralizadores (xampus, condicionadores e máscaras de tratamento), que devolvem gradativamente ao cabelo as condições normais de pH entre 4,5 e 5,5 após o processo. 

* Com o uso de tioglicolato de amônio e etanolamina o pH varia de 8,5 a 10 porque esses ativos desligam as cadeias de proteínas. O retorno ao pH natural se faz com soluções de peróxido de hidrogênio (água oxigenada ) estabilizado.

 

CUIDADOS PRÉ E PÓS

Sempre é bom lembrar a necessidade da realização do teste de mecha. “Dificilmente será necessária correção se o teste de mecha for feito antes. Mas caso aconteça algum problema, deve-se usar um neutralizante correspondente, no caso do uso de amônia, oxidantes equalizados para o processo. O mesmo se aplica aos hidróxidos”, indica Silene.  Ela lembra que também é importante orientar a cliente com os cuidados em casa. “Existem produtos pós-química, como os cremes para pentear, que fazem com que o cabelo mantenha a quantidade de água dentro dele, controlando, assim, o pH. O ideal é que o profissional indique uma boa linha home care. Também é bom que a mulher faça exames periódicos de saúde, pois alguns problemas afetam a estrutura hormonal e alteram o pH, provocando ressecamento na pele e no cabelo”, explica.

 

Texto: Carmen Cagnoni

 

> Vip by Silene Olmo (11) 2295-1979 / https://www.facebook.com/vipbysileneolmo

Related items

Todos os direitos reservados * Copyright 2015 * Revista Estetica * Edizioni Esav s.r.l. * email: contato@amabeleza.com.br * Privacy Policy login | Powered by coolshop

popup - Wisepops - script

Cookies - BR