top news

Gestão

Reciclagem profissional: uma necessidade de todo salão

Quinta, 19 Março 2015 15:48

A vida agitada faz com que clientes exijam cada vez mais excelência nos serviços prestados, em menor espaço de tempo. Desta forma, profissionais da área sentem necessidade de ampliar seus conhecimentos.

 

Reciclar as práticas, acompanhando de perto as mudanças de técnicas e tendências do mercado é indispensável para manter o negócio funcionando bem. “Não há outra forma de acompanhar o mercado e ser um profissional de ponta. Valem cursos e workshops, participação em eventos, congressos e feiras profissionais, pelo menos duas vezes ao ano”, detalha Rafael De La Lastra, diretor de aperfeiçoamento do De La Lastra Cabeleireiros.

A grande dúvida de boa parte dos cabeleireiros é saber se investem em cursos focados em determinadas técnicas, tornando-se portanto, especialistas, ou se investem na diversidade, adquirindo boa noção de tudo.

Segundo Rafael De La Lastra, tudo depende do salão onde você trabalha. Em alguns, o profissional precisa ter know-how para prestar mais de um serviço com qualidade. Contudo ele garante: “financeiramente, o retorno é sempre maior se o cabeleireiro for especialista em um determinado serviço – e cobrar mais por isso.”


Como escolher to tipo de reciclagem

Alguns fatores jogam contra os profissionais por mais que queiram avançar em termos de conhecimento e retorno financeiro: tempo disponível para fazer cursos e dinheiro para investir na carreira.

Uma excelente alternativa é buscar leituras sobre aprimoramento de técnicas e formas de utilização de novos produtos. Tudo é uma maneira de abrir a mente do profissional para o novo.

Para aqueles cujo investimento não é problema, a dúvida pode ser outra: qual a melhor forma de fazer a atualização frente ao crescimento constante do número de cursos, sejam de graduação ou não, oferecidos pelo mercado?

“A graduação sempre vale a pena e serve não apenas para os profissionais que aplicam técnicas ou que atuam na área da estética. Ela ajuda a entender melhor contabilidade, marketing, administração, visagismo”, explica Rafael. “Quanto mais gente bem preparada, melhor será o funcionamento do salão e maior a divulgação de seus serviços no boca-a-boca”.

“O estágio é bom, mas menos comum. A maioria dos cabeleireiros não tem tempo e nem paciência para observar o trabalho de outro. Nesse caso um curso prático e mais dinâmico pode ser opção melhor”, avalia Rafael De La Lastra.

As viagens também são bastante indicadas para buscar excelência e eficiência. Cursos no exterior servem também para elevar o status do profissional, refletindo diretamente nos valores cobrados do cliente. “A escolha do tipo de aprendizado e reciclagem varia muito e depende da personalidade e da maneira que cada um tem de aprender melhor”, conclui ele.

 

Texto: Sandhra Cabral

  • foto de galeria



  • foto galeria 1



  •  

Related items

Todos os direitos reservados * Copyright 2015 * Revista Estetica * Edizioni Esav s.r.l. * email: contato@amabeleza.com.br * Privacy Policy login | Powered by coolshop

popup - Wisepops - script

Cookies - BR